A MARCA DAS BRUXAS

Em nosso bosque há diversos seres e espíritos, continuamente trabalhamos com eles de modo que eles possam, através de nós, manifestar a Arte que transcende qualquer tempo e espaço. Acreditamos que o tempo todo, a nosso volta, eles nos dão sinais para nos guiar através da noite escura. Esses sinais muitas vezes acabam formando outros, os quais chamamos de sigilos, símbolos construídos para fazer algo que necessitamos. 

Dos mais antigos símbolos de nossa irmandade está este símbolo chamado de Pé das Bruxas, sobre o qual um grande mistério jaz, um mistério amplo que não serei totalmente capaz de comunicar, pois certas coisas devem ser vividas para se compreender. Este simbolo fala sobre as Nossa Rainha,  parecido com a pegada de uma coruja ou ganso, dois animais relacionados a ela, o pé das bruxas nos lembra de nossa condição animal, humana e espiritual, a trindade das bruxas. Além disso representa o Reino Celestial, o Reino Inferior, e os quatro reinos, que são as quatro direções com os quatro vigias (norte, sul, leste, oeste).
Nas alturas, no caminho das estrelas que chamamos de Via Láctea, está o Reino Celestial, onde habitam os espíritos mais elevados, como os deuses e nossos ancestrais cujas jornadas no mundo material foram terminadas. Nas profundezas temos o Reino Inferior, onde habitam os espíritos do mortos em geral, e é composto de muitas partes, nele há locais com grandes pastos, mas também há locais com tormento e sombras. é comum chamarmos o Reino dos Espíritos de Elfame, elf (elfo) + home (casa), casa dos elfos. Os elfos nada mais são do que espíritos nas terras do hemisfério norte, há de fato uma grande confusão hoje em dia classificando elfos como seres de orelhas pontudas que vivem junto com as fadas, mas veja bem, elfo possui a mesma raiz de ‘alvo’, sinonimo de cândido, branco, que nos remete a velha visão do mundo antigo de espíritos iluminados com um tom branco, tal como em filmes, desenhos e séries do mundo moderno. 

Se estendendo ao nosso redor se encontram as quatro direções, norte, sul, leste e oeste, cada qual representando uma estação, inverno – verão, primavera – outono, mas não só isso, representam os aspectos da vida humana, como a juventude, a vida adulta, a velhice e a morte, ou então podem ainda representar o nascer do sol, o meio dia, o por do sol e a meia noite. Muitas são os mistérios que os vigias guardam, e como gostamos de dizer, há sempre um ano em um dia. Pois dentro de um dia vemos todos os eventos que são causados da passagem do sol ao longo do ano.

Mme. Leonora
Alguns trechos deste texto foram retirados “LIBER UMBRAE” – um grimório de bruxaria de Michael Nefer.