Skip to content

Aradia – A Bruxaria e Industrialização Italiana

Em 1899 fora publicado pela primeira vez o livro Aradia – o Evangelho das Bruxas, escrito por Charles Godfrey Leland, um folclorista e jornalista que estudou um culto particular de bruxaria na Itália durante o século XIX, esse culto, envolto nas brumas da dúvida, deu origem ao livro Aradia – o Evangelho das Bruxas em 1899. Não espere encontrar uma crença Wiccan, mesmo que Gardner, o pai da Wicca, tenha se apoiado neste livro para criar a Wicca, a mesma surgiu somente décadas depois na Inglaterra, influenciada por diversas culturas (há elementos budistas, indianos, pagãos, maçônicos, etc.). Aqui você
LEIA MAIS >>

As Ervas de Poder da Bruxa

Outra forma histórica e cheia de mistérios utilizada por bruxas para voar entre os mundos é o unguento do sabá, também chamado de unguento de voo, ceia negra ou bálsamo das bruxas. Esse composto especial era feito a partir de plantas reconhecidamente alucinógenas, algumas venenosas ao ponto de matar, mas balanceadas como somente um químico de hoje faria, transformando veneno em remédio para a alma. Existe uma longa relação entre veneno e bruxaria. Veneno é tanto uma palavra quanto uma imagem, um signo que demonstra perfeitamente o equilíbrio entre cura e dano, representando o caminho tortuoso da feitiçaria e
LEIA MAIS >>

Amarrações na Bruxaria: em busca da origem

A figura da bruxa européia, que vai ao sabá e voa em vassouras, nos foi introduzida por Portugal como atesta o folclorista e historiador Luís Câmara Cascudo, começamos então por Portugal. A cultura de Portugal foi composta por diversas outras culturas anteriores, sendo as principais o catolicismo, o islamismo e as práticas fetichistas da África. Portugal era aberta ao mar, recebia diversos povos e possui-a uma religiosidade híbrida. Adicionando-se a predominância do caráter rural os portugueses eram muito mais afeitos ao misticismo e a religiosidade pagã do que ao catolicismo.
LEIA MAIS >>

O Grimório na Bruxaria

O Grimório é para toda bruxa um espelho de si mesma. O Grimório é basicamente seu diário mágico, mas em um nível mais profundo, ele é o mais poderoso instrumento de um Feiticeiro. Nele deve ser anotado sonhos, rituais, práticas e eventos da vida em geral do praticante. Alguns praticantes preferem manter um grimório só para conter os ritos e práticas, e outro somente para sonhos e a vida em geral (alguns fazem até um livro somente para eventos da vida em geral). No momento certo, seu grimório-diário lhe dará uma visão clara de sua evolução e progresso no
LEIA MAIS >>

Bruxas no Brasil: Origens da Bruxaria no Brasil

A figura da bruxa européia, que vai ao sabá e voa em vassouras, nos foi introduzida por Portugal como atesta o folclorista e historiador Luís Câmara Cascudo, começamos então por Portugal. A cultura de Portugal foi composta por diversas outras culturas anteriores, sendo as principais o catolicismo, o islamismo e as práticas fetichistas da África. Portugal era aberta ao mar, recebia diversos povos e possui-a uma religiosidade híbrida. Adicionando-se a predominância do caráter rural os portugueses eram muito mais afeitos ao misticismo e a religiosidade pagã do que ao catolicismo.
LEIA MAIS >>

Magia, Bruxaria & Wicca: diferenciação e respeito

O que é magia? A magia é uma folha de papel branca limpa, pura, cheia de possibilidades. Enquanto vazia, ela possui todo potencial, para todas as coisas. Nesse sentido a magia não tem e não é religião, não é uma crença, ela simplesmente é uma fonte potencial. O que é Bruxaria? Agora imagine que começamos a escrever ou desenhar na folha branca. Uma vez que começamos a folha tem seu potencial limitado a técnica empregada. Se pinto de forma similar a um mangá, então me restrinjo-me a manter o mesmo estilo. A folha vai ganhando cada mais traços, delimitando
LEIA MAIS >>

Fadas, Feitiçaria e Feitiços de Cura: como a medicina popular e o sobrenatural se entrelaçaram

O estudo da medicina popular tem uma longa história que reflete sobre o desenvolvimento mais amplo da saúde na sociedade europeia. Nos últimos 500 anos e mais, a medicina foi definida em grande parte por quem a praticou, e não por sua base ou eficácia teórica. Pode-se argumentar que muito do que se sabe sobre a história da medicina “não oficial” deriva de processos sob leis destinadas a restringir o fornecimento e de tentativas do estabelecimento médico europeu de afirmar o monopólio da saúde. Lembre-se de que sabemos retrospectivamente que os tratamentos fornecidos pela medicina profissional eram, até o
LEIA MAIS >>

A última ‘bruxa’ a ser queimada viva era inocente: cidade pede perdão 360 anos após sua morte

POR STUART DOWELL Terapeutas que ajudam idosos com demência foram às ruas de Gdańsk ontem para reencenar o momento em que a última bruxa da cidade foi queimada viva na fogueira – para tentar convencer os conselheiros locais a limpar seu nome 360 ​​anos após sua morte. A suposta feiticeira Anna Kruger, de 88 anos, foi queimada com força no que hoje é Targ Węgielny em Gdańsk, diante de uma multidão latente, depois de ter sido considerada culpada de bruxaria por vereadores locais. O caso foi instaurado contra ela depois que os vizinhos não conseguiram entender por que a
LEIA MAIS >>

UM FEITIÇO PARA HORAS DE EMERGÊNCIA

Emergência é em essência algo que está emergindo, subindo a superfície. A palavra emergência como sinônimo de necessidade é recente, tem cerca de 200 anos desde o registro mais antigo de seu uso. Seja qual for a sua necessidade nesse momento, esse trabalho vem lhe trazer uma ferramenta para balancear seu corpo, mente e espírito.  Uma das maiores origens desse sofrimento é a confusão que fazemos entre necessidades não atendidas e desejos não realizados. Necessidades referem-se a aspectos básicos da condição humana, alimentar-se, vestir-se, ter um lugar para morar. Quando essas necessidades não são atendidas, o ser humano vive
LEIA MAIS >>
Atenção, a violação de direitos autorais é crime!