O Grimório é para toda bruxa um espelho de si mesma. O Grimório é basicamente seu diário mágico, mas em um nível mais profundo, ele é o mais poderoso instrumento de um Feiticeiro. Nele deve ser anotado sonhos, rituais, práticas e eventos da vida em geral do praticante. Alguns praticantes preferem manter um grimório só para conter os ritos e práticas, e outro somente para sonhos e a vida em geral (alguns fazem até um livro somente para eventos da vida em geral). No momento certo, seu grimório-diário lhe dará uma visão clara de sua evolução e progresso no caminho. Através do contato com espíritos e deuses do caminho, um bruxo pode canalizar um grimório sussurrado pelos guias do caminho e que muitas vezes vêm acompanhados de conjurações para que o conhecimento ali contido seja revelado ao praticante.

Conhecido desde tempos imemoriais, o grimório é derivado da palavra “gramática”. Toda gramática é em essência a descrição de um conjunto de símbolos e de como combiná-los para criar frases bem formadas. Um grimório é, apropriadamente, uma descrição de um conjunto de símbolos mágicos e de como combiná-los corretamente. Muitos livros podem ser chamados de grimórios, todos começaram como anotações de um processo para depois se tornarem célebres através das eras.

Um observador eficiente deve focar em anotar em um diário todos os aspectos do que acontece em sua jornada, do momento em que pisa na soleira da porta, domínio do desconhecido e de muitos deuses do limiar, até o momento do retorno para sua casa. Devemos anotar tudo quanto for possível. Como o tempo estava, como você se sentia ao sair de casa, encontros no caminho, animais que passaram por você, coisas curiosas que aconteceram, como você se sentia quando chegou ao local e como se sentia ao sair, coisas que chamaram sua atenção, oferendas que foram realizadas aos espíritos do local, sonhos que surgiram antes da visita ou depois, sonhos, e etc.

Não existe um modelo definitivo que possa usado em todas as ocasiões, de fato, existem modos diversos de se anotar seus sonhos, suas tiragens de cartas, seus rituais, seus feitiços, suas receitas secretas, mas qualquer que seja o modo que escolha, é importante que ao menos algumas informações sejam anotadas.

Data & Hora: importantes para mostrar ciclos que se repetem. Com tempo, poderá ver que existem situações que são ciclos e poderá abordá-los de formas diferentes.

Fase da Lua: essa informação será importante para que você perceba no futuro as relações entre as fases da lua e seu corpo físico e emocional.

Antes da Prática: é importante que você anote coisas como sensações, expectativas, situações que passou, emoções prévias e tudo mais que aconteceu depois de você acordar, até mesmo o que você comeu, uma vez que alimentos podem influenciar como nos sentimos. 

Durante a Prática: coloque aqui algumas linhas sobre seus sentimentos, emoções, visões, sensações, impressões e tudo o mais que acontecer durante sua prática, descrevendo cada passo ou mudança repentina que aconteceu.

Depois da Prática: escreva como se sentiu depois, que sensações você sente, quais pensamentos passam pela sua cabeça e tudo mais que seja necessário, pode ser que você queira também deixar algumas linhas extras em branco para preencher com coisas que possam lhe acontecer ao longo do dia.

Como vê tudo importa para o desenvolvimento da bruxa. Todos esses elementos serão úteis para seu caminhar mais a frente quando quiser determinar se progrediu em uma prática ou mesmo saber onde no processo mágico você errou de modo a encontrar e corrigir sua prática tornando ela cada vez mais afinada com seu propósito.