Nossa Rainha é chave de nosso culto. Ela é o Verdadeiro e Supremo Ser que é objeto de nossa devoção. Chamo-a simplesmente por “a Fonte”, o espirito imemorial que doa a força da Arte das Bruxas. A primeva Deusa Mãe, podemos chamá-la de Mãe Natureza, Mãe Terra ou do que desejarmos, mas Ela é, naturalmente, a Inteligência por trás da Natureza, que é, como originalmente concebida, uma força feminina, conhecida por liderar as bruxas pelo céu noturno. Multifacetada, qualquer uma de suas faces é válida para aquele que é devoto dela. Alguns podem dizer que seguem a verdadeira ‘Deusa’, mas dizer isso é negar a poder dela. Para conhecê-la devemos explorar a própria estrutura da vida, porque, sendo a Deusa da vida, ela é encontrada no viver.


Ela é a escuridão que abraça todo o universo, a Luz Escuraque Ilumina, a Chama Verdadeira. D’Ela todas as coisas vieram, e para ela todas as coisas voltarão. Ela criou através do sangue e do ventre d’Ela a raça das bruxas e fadas. É Ela quem decide o desenho da vida na tapeçaria do destino, e seu filho e amante, o Nosso Senhor Chifrudo, mantêm a roda de fiar sempre em movimento. Por vezes é associada ao planeta Vênus e a Lua, bem como frio do Inverno e as florestas antigas; seu símbolo é o Caldeirão, e por vezes a Taça. As cavernas, topo de montanhas, montículos e covas são locais sagrados à Ela. Seus animais por vezes são a cadela negra, a pomba branca (pois ela é o Espírito Santo), a coruja, a égua, a loba, a mariposa, entre outros.

Erroneamente as pessoas associam a verdadeira luz com a luz do sol, da fogueira, sendo que uma lâmpada acessa cria mil sombras a seu redor. A verdadeira Luz brilha dentro de nós através da Sabedoria, como se fôssemos chamas incandescentes em meio a escuridão. A Verdadeira luz é a Escuridão que abraça todas as coisas dentro de si. Se pensar bem perceberá que o universo é escuro, como se ainda vivêssemos dentro de um ventre de grande antiguidade. É claro que a Luz física é necessária, mas também é uma ilusão, uma miragem da Escuridão, A Verdadeira Luz é como aquela que alimenta a semente: ela precisa da escuridão para crescer, mas da luz para se desenvolver. Nosso corpo está sujeito a luz deste mundo, mas nossa alma só está sujeita a grande escuridão, que chama todas as almas para se fundir novamente na Grande Fonte Além de Tudo e Todos.

Para compreendê-la melhor precisamos deixar de lado nossos dualismos, pois Ela é tão temida quanto adorada, e nisso reside um grande mistério da Arte Antiga, pois entre a vida e a morte, Ela exerce seu poder. Compreendê-la e perceber sua magnitude é impossível, pois um mero vislumbre de sua face é capaz de cegar. Aqueles que veem, nunca mais vivem entre os humanos, e ficam marcados pela eternidade. Dada a dificuldade de percebê-la como uma entidade unica, muitas faces e nomes foram dados a ela através do tempo e da história. O fato é que n’Ela a Luz e as Trevas se encontram, e por vezes, por simples capricho, Ela ceifa a vida dos homens, para em outro momento, dar vida novamente… 
Eu chamo a ti Senhora dos Segredos e Chaves,
Rainha da Noite e Deusa de toda bruxaria,
Eu chamo a ti, ó mais alta no céu noturno.
Com amor e honra carrego tuas tochas,
Para que suas chamas iluminem
a escuridão através da eternidade.
Senhora das Sombras, no círculo da noite,
Sozinho clamo como seu Amante.
Pois Ofertado sou eu a Ti, abraça-me.”

*

Mme. Leonora